Urgente, R$600,00 por causa do Corona!

Para garantir a renda mínima dos 54 milhões de brasileiros em situação vulnerável!

Corona

A medida é uma tentativa de auxílio na diminuição do impacto negativo, no empobrecimento da população, que será um forte efeito da pandemia de coronavírus. Sem dúvidas, a maior dificuldade dessa medida é a organização e isso depende também das pessoas se conscientizarem. Se faz necessário, que as ONGs, líderes comunitários e profissionais capacitados façam esse serviço de levar informação para as pessoas, orientando como realizar o cadastro para poder ter acesso a esse dinheiro. Então a Boa dy bolso, vai colaborar! E você, por favor, compartilhe...

A princípio, o valor de R$600,00 será pago por três meses, e faz parte de uma medida do governo lançada para aliviar a crise econômica provocada pelas quarentenas, decretadas como forma de contenção da pandemia de coronavírus. Calcula-se que há 38 milhões de trabalhadores informais em todo o Brasil, segundo dados da última edição da PNAD Contínua, e estes em sua grande parte terão direito a ajuda. Porém, alguns não estão cadastrados em nenhum programa social do governo. 

Confira os critérios do projeto abaixo:
•    As pessoas que estão fora do Cadastro Único (CadÚnico) do governo, como os trabalhadores informais ou com contrato intermitente inativo, autônomos e microempreendedores individuais (MEI) com renda familiar mensal inferior a meio salário mínimo per capita ou três salários mínimos no total, que tiverem direito a receber o auxílio emergencial de R$600,00 terão que se cadastrar em um aplicativo, disponibilizado na próxima terça-feira (07/04). 
•    Após a validação do cadastro e do benefício, receberão pelos bancos Banco do Brasil, Banco da Amazônia, Banco do Nordeste, Caixa, Correios e agências lotéricas, em até 48h. 
•    O auxílio emergencial não será para pessoas que recebem aposentadoria, seguro-desemprego ou fazem parte de outro programa de transferência de renda, com exceção do Bolsa Família.
•    O cálculo da renda média, que determinará quais pessoas receberão o dinheiro, será verificado por meio do Cadastro Único para Programas Sociais aos inscritos e os não inscritos, com autodeclaração em plataforma digital. 
•    O auxílio de R$600,00 será limitado a duas pessoas da mesma família. 
•    Os trabalhadores informais que forem chefes de famílias, terão direito a duas cotas, equivalentes a R$1.200,00. 
•    Foram inclusas novas categorias de pessoas elegíveis para receber o auxílio, como: motoristas de aplicativos, mães de adolescentes, taxistas, caminhoneiros, músicos, pescadores artesanais e catadores de materiais recicláveis.  
Estudos mostram que cerca de 11 milhões de pessoas elegíveis não estão cadastradas no CadÚnico ou MEI, e esta redução da atividade econômica expõe ainda mais a vulnerabilidade das pessoas sem emprego formal e com as medidas de distanciamento social, têm a sua renda diminuída drasticamente.

Não sabemos como vai funcionar tudo isto!
Sabemos que precisamos ter calma, por se tratar de uma medida de proteção social, e a principal preocupação no momento, segundo os especialistas, é em relação à sua execução, porque é preciso garantir que o dinheiro chegue na mão das pessoas o quanto antes para evitar uma tragédia social. Esta medida custará aos cofres públicos mais de R$98 bilhões e deve ser utilizada para o consumo de subsistência das famílias, como aponta a maioria dos especialistas.

 

Autora do contéudo - Elis Negrão, jornalista paulistana, casada, mãe coruja, graduada em comunicação institucional, pós graduada em Educação em Direitos Humanos (UNIFESP /UAB), Educação Financeira (UNIS) e com MBA em Empreendedorismo e Gestão de Negócios (UNIS) e Projetos na USP. Criadora do Blog  www.boadybolso.com.